top of page

Janeiro 2024

4 tendências que poderão transformar os supermercados em 2024

Da mídia nas lojas aos movimentos de fusões e aquisições, o varejo de alimentos americano pode ter grandes mudanças neste ano

Por Renato Muller, Redação SuperHiper


Ano novo, vida nova. Para o setor de supermercados, 2024 deverá ser marcado por 4 tendências – algumas com um grau bem alto de segurança, outras ainda como uma grande incógnita.


Na visão da consultoria americana Insider Intelligence, estes são os 4 grandes temas que irão marcar o setor de supermercados neste ano nos EUA:


A hora do retail media

A expectativa da Insider Intelligence é que o mercado americano de retail media cresça 28,6% sobre 2023, movimentando quase US$ 60 bilhões. O uso de canais digitais deverá responder por 81,5% desse valor, mas vale destacar que os gastos com retail media dentro das lojas físicas e em canais de terceiros representará quase um quinto de todo o investimento publicitário nos canais de varejistas.


Para a consultoria, as redes de retail media desenvolvidas por empresas como Walmart, Hy-Vee, Target e Kroger irão se expandir para formatos de mídia dentro das lojas e em TVs conectadas. Algumas redes já começaram a experimentar esses formatos – e o céu será o limite.

 

A Amazon continuará tentando ser supermercado

A Amazon fez em 2023 sua mais radical mudança estratégica no setor de supermercados, trazendo executivos de varejo, revitalizando sua estrutura logística e mudando o foco de suas lojas. A oferta de assinatura de supermercado para clientes Prime, iniciada no ano passado, foi outro passo importante nessa estratégia.


Neste ano, a empresa voltará a abrir lojas com a bandeira Amazon Fresh, com melhorias no sortimento, estoque e no design no ponto de venda. O objetivo é ganhar espaço no setor de supermercados, onde tem um market share de apenas 4,4%, e passar a bater de frente com gigantes como Walmart, Kroger e Albertsons.

 

A incógnita do comportamento do consumidor

Apesar dos sinais de refreamento da inflação, ainda não está claro se os consumidores irão gastar mais neste ano ou se continuarão com um comportamento cauteloso. Para Doug McMillon, CEO do Walmart, as dívidas já contraídas e os juros em patamares elevados poderão manter o consumo deprimido, impactando as receitas e resultados dos varejistas.


Com isso, as marcas próprias do varejo deverão ter um bom ano em 2024. Dados do FMI – The Food Industry Association mostram que 96% dos consumidores compram itens de marca própria ao menos ocasionalmente e 37% o fazem para economizar dinheiro. Fatores como a qualidade dos produtos e o sabor, porém, podem fazer com que os clientes não voltem para as marcas líderes quando a situação financeira melhorar.

 

O novo gigante na praça: Kroger-Albertsons

Faz mais de um ano que as redes supermercadistas Kroger e Albertsons anunciaram a intenção de fundir suas operações. O sinal verde do FTC, a autoridade antitruste americana, ainda precisa ser dado, mas a Kroger afirma que é somente questão de tempo.


O impacto da fusão pode ser dramático, pois criará uma empresa que alcança mais de 85 milhões de residências nos Estados Unidos a partir de milhares de lojas físicas – uma estrutura com a qual somente o Walmart consegue rivalizar. Mais importante, a fusão fará com que a nova empresa tenha uma quantidade incrível de dados primários dos clientes, o que aumentará sua capacidade de fazer retail media e gerar novas fontes de fidelização, vendas e lucros.

 

Como funciona o Retail Media?

O Retail Media possibilita que os ambientes do varejo sejam espaços para as marcas veicularem seus anúncios com foco no que o cliente está buscando. Essa tendência traz uma diferença em relação aos Ads convencionais, pois quem fornece os dados para segmentar as ofertas é o próprio varejista, e não ferramentas terceirizadas, como o Google Ads.

Assim, as informações disponibilizadas para o Retail Media são de consumidores já cadastrados na plataforma do varejo, não correndo o risco de infração à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), partindo do pressuposto que o usuário consentiu o uso de suas informações.

Outra questão resolvida com a utilização desse recurso é o uso de cookies, já que as marcas se baseiam em dados fornecidos pelo varejista, os cookies não são mais necessários.

Como aplicar o Retail Media?

Para que o anúncio seja feito na plataforma varejista, a empresa interessada paga uma determinada quantia. Então, utiliza-se o banco de dados próprio do fornecedor para atingir o público-alvo específico, aumentando as chances de os produtos anunciados estarem alinhados com o usuário da página e, dessa forma, convertendo uma venda.

Um exemplo de sucesso do uso dessa tendência é do Grupo Carrefour, que em 2021 lançou o “Carrefour Links”, uma plataforma de anúncios digitais. O grupo oferece uma base de dados de ponta para os anunciantes, fornecendo ferramenta de ativação mais estratégica e análise de performance, bem como outros recursos para impulsionar a tomada de decisão do cliente, de acordo com a sua necessidade.

No Brasil, o Retail Media ainda está em fase inicial, mas há um grande potencial de crescimento e investimento para a nova tendência de mercado.

 
 

Mercado eleva para 1,59% projeção de expansão da economia em 2024


A previsão do mercado financeiro para o crescimento da economia brasileira este ano subiu, passando de 1,52% para 1,59%. A estimativa está no boletim Focus desta segunda-feira (8), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC) com a projeção para os principais indicadores econômicos.


Para 2025, a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB - a soma dos bens e serviços produzidos no país) - é de crescimento de 2%, a mesma projeção para 2026.


O Focus continua trazendo as previsões para 2023, já que os números ainda estão sendo consolidados. O mercado estima que o PIB de 2023 fique em 2,92%. O resultado do quarto trimestre, com o consolidado do ano, será divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 1º de março.


Superando as projeções, no terceiro trimestre do ano passado a economia brasileira cresceu 0,1%, na comparação com o segundo trimestre de 2023, de acordo com o IBGE. No ano, a alta acumulada foi 3,2%.


Com o resultado, o PIB está novamente no maior patamar da série histórica, ficando 7,2% acima do nível pré-pandemia, registrado nos três últimos meses de 2019.


A previsão de cotação do dólar está em R$ 5 para o fim deste ano. No fim de 2025, a previsão é que a moeda americana fique neste mesmo patamar.


 

"Dívida Zero" prorrogado até 29 de fevereiro de 2024


O Governo de Pernambuco anunciou uma ótima notícia para os contribuintes que estão com pendências em relação a impostos como ICMS, IPVA e ICD. Agora eles terão mais dois meses para negociar seus débitos e resolver suas situações. Através do Programa Especial de Recuperação de Créditos, conhecido como Dívida Zero, os contribuintes terão a oportunidade de obter redução de até 100% em multas e juros incidentes sobre os tributos estaduais. O prazo final para aderir ao programa foi prorrogado para o dia 29 de fevereiro de 2024.


Essa prorrogação também inclui as dívidas geradas até 30 de maio de 2023. Segundo dados da Secretaria da Fazenda, até o dia 27 de dezembro, mais de 44 mil contribuintes já haviam renegociado cerca de R$750 milhões em pagamentos de dívidas, seja à vista ou parcelados nos três impostos. Essas dívidas somavam R$1,5 bilhão antes dos descontos oferecidos.


O objetivo do Governo do Estado é beneficiar os contribuintes e proporcionar uma oportunidade para que eles regularizem suas dívidas de forma acessível, voltando a ter crédito com o Fisco e podendo circular com seus veículos sem preocupações. O programa Dívida Zero beneficia aproximadamente 47 mil contribuintes com dívidas que totalizam R$5.8 bilhões em relação ao ICMS.


Além de ajudar os contribuintes a ficarem em dia com a Fazenda, o programa também vai aumentar a arrecadação do Estado. As condições especiais oferecem descontos que variam de acordo com o imposto e a forma de pagamento, podendo chegar a 100% de redução da multa e dos juros no caso do ICD. No IPVA, por exemplo, os descontos podem ser de 70% para pagamento à vista ou 50% no parcelamento em até 36 meses.


O Dívida Zero também permite que, após a aplicação dos descontos, o contribuinte utilize o saldo credor para pagar até 50% do crédito tributário. Além disso, o programa perdoa os créditos tributários relativos ao IPVA e a Taxas de Fiscalização e Utilização de Serviços Públicos para veículos com placas de duas letras. Também estão isentas as taxas de diária, reboque, vistoria e liberação de motocicletas, ciclomotores e motonetas nacionais que foram apreendidos.


Para aderir ao programa Dívida Zero, o contribuinte pode fazer a solicitação através da internet, no site da Sefaz-PE, ou pelo Telesefaz. No site, é possível visualizar os débitos, selecionar os que deseja pagar ou parcelar, simular parcelamentos e emitir a guia de recolhimento da primeira parcela ou parcela única no caso de pagamento à vista. Também é possível buscar atendimento em uma Agência da Receita Estadual, cujos endereços estão disponíveis no site da Secretaria da Fazenda, de segunda a sexta-feira, das 8h às 13h.


Essa é uma excelente oportunidade para os contribuintes regularizarem sua situação financeira e voltarem a ter crédito com o Fisco. Não perca essa chance de resolver suas pendências e aproveitar os descontos oferecidos pelo programa Dívida Zero.


 

Edição 2023 do Dia Nacional do Supermercado comprova que os relacionamentos estão mais do que fortalecidos


Novembro de 2023 - O jantar-dançante do Dia Nacional do Supermercado, está no calendário da Associação Pernambucana de Supermercados – APES – há mais de 20 anos. Com o tema foi “Fortalecendo Relacionamentos”, o evento foi uma referência ao sentimento da APES em relação a todos os entes que compõem a cadeia do abastecimento no Estado.


"O trabalho da nossa entidade é representar e fortalecer as relações entre todos e cada um. Promovendo, assim, a união que tanto precisamos para nos manter fortalecidos”, destacou em seu discurso o presidente da APES, João Alves. O presidente lembrou que a APES vai celebrar 50 anos de trabalho e representatividade em 2024. “Só uma entidade forte e com credibilidade consegue se manter há tantos anos em atividade. É uma grande honra presidir a Associação Pernambucana de Supermercados”, afirmou.


Familiares, amigos, parceiros de negócios e autoridades participaram do evento ao lado dos supermercadistas. Os deputados estaduais Álvaro Porto – presidente da ALEPE um dos homenageados da noite -, Antônio Moraes, Joaquim Lira e Mário Ricardo, os vereadores do Recife Cida Pedrosa, Michele Collins e Tadeu Calheiros, o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Guilherme Cavalcanti, que representou a govenadora Raquel Lyra, a especialista sênior da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Angélica Hatori, representante da Prefeitura do Recife, o presidente da Fecomércio, Bernardo Peixoto, o presidente da Associação Paraibana de Supermercados (ASPB), Cícero Bernardo, e o presidente da ASPA, Inácio Miranda, prestigiaram a festa. Representando a ABRAS, o vice-presidente Institucional e Administrativo Marcio Milan, que em seu discurso fortaleceu a importância da união do setor.


Confira os homenageados da noite:


CARRINHO DE OURO


PERSONALIDADE DESTAQUE*


*O empresário Antônio Caiçara, do Grupo Pajeú, foi a personalidade como Executivo de Empresa de Supermercado. Por motivos de saúde, não pode comparecer ao evento.


 

Super Mix 2023 apresentou crescimento de público e geração de negócios


A edição 2023 da Feira Super Mix aconteceu em novembro de 2023, no Centro de Convenções. O evento, realizado pela Associação Pernambucana de Supermercados – APES – e pela Associação Pernambucana de Atacadistas e Distribuidores – ASPA –, recebeu 26 mil pessoas em seus três dias. A Super Mix, juntamente com a HFN – Hotel & Food Nordeste -, gerou uma movimentação financeira estimada em R$ 520 milhões, 22% maior do que em 2022.


A Super Mix, que chegou à 17ª edição, teve negócios e conteúdo, oferecendo experiências diversas em espaços como o Mercado Modelo, que apontou as últimas novidades em tecnologia e equipamentos para pequenos e grandes mercados. O presidente da APES, João Alves, destacou o evento como espaço importante de networking e atualização para os empresários do setor.


A governadora de Pernambuco, Raquel Lyra, visitou a Super Mix e destacou a importância do evento. “É importante a realização de eventos como esse, que permite a troca de experiências, mas sobretudo, pelo volume de negócios gerados. Iniciativas como essa fazem nosso Estado voltar a crescer, sem deixar ninguém para trás. Aqui em Pernambuco, já vemos empresas dobrando a sua capacidade de investimento e produção, não só para o consumo interno, mas também para exportação. É muito bom ver essa força da matriz econômica diversificada gerando emprego e renda na nossa região”, pontuou a governadora Raquel Lyra.


 

Ações em parceria com o Procon-PE e o Procon Jaboatão marcam Dia das Crianças da APES


OUTUBRO 2023 - No mês das crianças, a APES foi parceira de uma ação muito importante. O público-alvo da ação foi diferenciado: os pequenos. E o objetivo era conscientizar e incentivar a educação de consumo desde cedo. A ação aconteceu no Recife, realizada pelo PROCON-PE, e em Jaboatão dos Guararapes, pelo PROCON Jaboatão dos Guararapes.


Estudantes das escolas do Recife e de Jaboatão puderam ir nas lojas do Arco Mix, Recibom, Rende Mais e Supermercado Pernambucano. Durante a ação, os estudantes presentes, com idade entre 6 e 10 anos, foram transformadas em “fiscais do Procon-PE” e aprenderam conceitos básicos consumeristas como: identificação da validade dos produtos, conteúdo da embalagem relativo ao peso e quantidade, observação dos preços expostos aos consumidores, entre outros pontos.


 

PALESTRA: Quem tem informação não teme fiscalização

Encontro reuniu PROCON PE, APEVISA e IPEM para falar sobre competências e legislação



SETEMBRO 2023 - Auditório lotado para a palestra “Quem tem informação não teme fiscalização” promovida pela APES com a participação do PROCON PE, APEVISA e IPEM.


O evento, que aconteceu no auditório da ASPA, reuniu dezenas de empresas que buscavam informações relevantes sobre novas regras sanitárias, competências dos órgãos e informações gerais que facilitarão a relação entre os supermercados e os órgãos de fiscalização.


Confira a matéria completa e a galeria de imagens do evento AQUI.


 

APES e Abrappe promoveram evento sobre Segurança que contou com a participação das Polícias Civil e Militar de Pernambuco



MAIO 2023 - É crescente o número de ocorrências de roubos, furtos, saques e invasões nos supermercados. Esse aumento começou notadamente na pandemia, e segue numa curva ascendente, o que preocupa o comércio. Não se trata apenas do prejuízo financeiro que um supermercado tem com ações desse tipo, mas nos dias de hoje, com a facilidade de propagação de imagens e informações, o risco do prejuízo de reputação também deve ser objeto de preocupação.


Pensando nisso, a APES, em parceria com a Abrappe, promoveu um Painel sobre Segurança, que contou a participação das polícias Civil e Militar de Pernambuco. Ao longo de duas horas, o Tenente Coronel Eliel e o Delegado Alessandro Orico falaram sobre Segurança para uma plateia atenta, representando dezenas de empresas supermercadistas pernambucanas, que foi ao evento para entender melhor como pode agir, sem ter problemas, no caso de uma ação criminosa na loja.


O Painel aconteceu no dia 11 de maio de 2023, no auditório da Aspa. Na abertura, depois da saudação do presidente da APES, João Alves, a superintendente da entidade, Silvana Buarque, destacou que a grande dúvida das lojas é sobre a legalidade das ações de segurança para coibir as várias modalidades de crimes. Ela destacou, ainda, a importância de entender qual abordagem vai trazer menor dano à imagem da empresa. Finalizou lembrando as ações que foram desenvolvidas em parceria com o Governo do Estado durante a pandemia, no sentido de coibir as ações criminosas, como a criação de um canal direto de comunicação entre as empresas supermercadistas e a Polícia Militar, no sentido de agilizar o atendimento no caso de uma ocorrência.


Confira a matéria completa e a galeria de imagens do evento AQUI.


 



Principais alterações tributárias trazidas pela Lei nº 14.789, de 29/12/2023

(Conversão da MP 1.185)

Por: Escritório Ivo Barboza


No final de 2022 foi promulgada a Emenda Constitucional nº 126, originalmente denominada como PEC da transição. Dentre outras medidas importantes, a EC nº 126 determinou que o Governo Federal apresentasse um Projeto de Lei Complementar que instituísse uma nova regra fiscal para substituir o teto de gastos.

 

O conjunto de medidas criadas para gerenciar as receitas e despesas do Governo Federal foi denominado “arcabouço fiscal”. Essas medidas visam o controle dos gastos públicos de forma a equilibrar as contas públicas. Segue abaixo algumas medidas propostas pelo Governo Federal na MP 1.185/2023, convertida pelo Congresso Nacional na Lei nº 14.789/2023, que compõem o “arcabouço fiscal”:


- Tributação sobre subvenções estatais:

Subvenção estatal são benefícios (notadamente fiscais) criados por um ente federativo (União, Estado ou Município) e concedidos às empresas, normalmente para reduzir ou isentar o pagamento de algum tributo, como estímulo à instalação ou ampliação de empreendimentos em seus territórios. Em Pernambuco, isso acontece, por exemplo, com a concessão de incentivos pelo PRODEPE, PROIND, PRODEAUTO, PEAP, entre outros. Todavia, é preciso enfatizar que também eram qualificados como tais, benefícios de ICMS concedidos a determinados produtos ou atividades (atacadistas).

A Lei nº 14.789/2023 traz a revogação de normas que previam a exclusão de receitas decorrentes de incentivos fiscais da base de cálculo do IRPJ, CSLL, PIS e COFINS. A norma altera a forma de tributação dos benefícios fiscais. Até então, as empresas detentoras de tais benefícios excluíam da base de cálculo do IRPJ, CSLL, PIS e COFINS - mediante a observância de alguns requisitos - os valores (receitas) decorrentes dos benefícios.

Com a Lei nº 14.789/2023, haverá a tributação pelo IRPJ, CSLL, PIS e COFINS dos referidos benefícios fiscais, bem como a criação de crédito, em favor das empresas beneficiárias, que poderá ser utilizado para compensar outros débitos ou ser ressarcido em dinheiro.

Para que a empresa possa se utilizar de tais créditos, haverá a necessidade de uma habilitação prévia junto à Receita Federal do Brasil, na qual a empresa deverá demonstrar que é beneficiária de subvenção para investimento concedida por ente federado.

 

Vale observar que a subvenção para custeio não tem previsão para gerar créditos. Esse crédito será apurado na Escrituração Contábil Fiscal (ECF) relativa ao período de apuração, pelo produto das receitas de subvenção e da alíquota de 25% (vinte e cinco por cento) relativa ao IRPJ.

 

As medidas impostas pela Lei nº 14.789/2023 deverão produzir os seus efeitos a partir de 01/01/2024 e devem impactar os supermercados que, dificilmente, conseguirão qualificar os benefícios fiscais recebidos como subvenção para investimento.

 

Tendo em vista que tal medida repercutirá necessariamente em aumento da carga tributária para as empresas que possuem essas subvenções estatais, espera-se um aumento de litigância judicial em relação ao tema.

 

- Tributação do Juros sobre Capital Próprio (JCP)

Juros sobre o Capital Próprio (JCP) são proventos pagos pelas empresas aos acionistas como forma de remunerar o capital investido. Os JCP’s são calculados a partir da aplicação da taxa de juros de longo prazo (TJLP) sobre as contas do patrimônio líquido, listadas pelo artigo 9º da Lei 9.249/1995, desde que observados os limites previstos naquele dispositivo.

Por serem categorizados como despesa dedutível, o valor dos JCP é deduzido do lucro antes do desconto do IR. Logo, as empresas pagam menos impostos ao remunerar os investidores dessa forma.

A princípio, o Governo Federal desejava aprovar o fim da dedutibilidade do mecanismo, mas, na versão aprovada, foram estabelecidas restrições para os valores que as empresas podem considerar para a base de cálculo dos juros sobre capital próprio. Dentre as alterações feitas, destacam-se as seguintes restrições na base de cálculo dos JCP:

a)      o capital social: só o que estiver devidamente integralizado, ou seja, caso o capital tenha uma parcela a integralizar, esta não deve ser considerada;

b)      as reservas de lucros decorrentes de incentivos fiscais não integrarão a base de cálculo dos JCP; e,

c)      não serão consideradas as variações positivas no patrimônio líquido provenientes de transações entre partes relacionadas, contanto que tais transações não envolvam a efetiva entrada de ativos para a pessoa jurídica. 

Ao restringir a forma pela qual era calculado o JCP, que é despesa dedutível, a norma institui uma redução no valor de despesa dedutível, acarretando aumento da base de tributação e onerando as empresas que pagam JCP.

 

Como se pode perceber, a Lei nº 14.789/2023 traz uma série de medidas que geram um efeito prático: aumento de carga tributária. Sendo assim, cabe às empresas varejistas analisarem os impactos que essa medida trará aos seus negócios e escolherem a melhor maneira de administrá-la.

 

A área de Tributos Federais do escritório Ivo Barboza & Advogados Associados está à disposição para auxiliar as empresas que desejarem mais informações sobre o assunto. Visite o nosso site: www.ivobarboza.adv.br e siga-nos nas redes sociais: @ivobarbozaadv.


 

ANIVERSARIANTES DE JANEIRO


05 –  NUBIA MONTEIRO DE OLIVEIRA

12 - MAURISANDRA FERREIRA AMORIM

12 – ALEXANDRE FERRER

12 - MILENE RIBEIRO SILVESTRE

14 - DANIELA BEZERRA

17 – GLÉCIA MORAES

22 - EDIVALDO VASCONCELOS

25 - OTÁVIO FERREIRA LINS

26 - LUCIANO GONÇALVES

28 - MARIA DOS ANJOS FERREIRA LINS

31 – MIGUEL ZAIDAN

 31 - EDNA PONTE



bottom of page